Miguel Brito quer revitalizar o comércio e atrair investimento para o Porto Santo

O candidato do Partido Socialista à presidência da Câmara Municipal do Porto Santo pretende implementar uma política municipal de desenvolvimento económico assente na revitalização e modernização do comércio local, na captação de investimento e na internacionalização do destino turístico.

Por entender que é o investimento económico que gera mais e melhor emprego, com benefício para a qualidade de vida dos porto-santenses e maior coesão social, o candidato do PS defende que a autarquia “deve assumir-se como dinamizadora do investimento privado, criando as condições necessárias para que o mesmo seja uma realidade, apostando na credibilização do município do Porto Santo enquanto parceiro de negócios e esbatendo os receios e os efeitos da sazonalidade”.

“O Porto Santo estagnou nos últimos anos e isso é bem visível pela quantidade de infraestruturas e investimentos deixados ao abandono, pelo número de estabelecimentos comerciais que, dia após dia, vão fechando portas, com reflexos graves ao nível do desemprego e, consequentemente, ao nível dos rendimentos das famílias”, constata Miguel Brito, frisando ser necessária uma mudança de paradigma, que só será possível com uma governação socialista na Câmara da ‘ilha dourada’.

Para tal, o candidato prevê a concretização de uma Agenda para a Dinamização Económica do Porto Santo, que passe pela revitalização do comércio local, pela definição de uma estratégia municipal de turismo e pela organização e promoção de eventos de elevada qualidade com impactos nacional e internacional.

Miguel Brito aponta como prioritária a criação de programas de apoio ao comércio para a modernização e inovação, incentivando os porto-santenses ao consumo local dos mais diversos produtos. A par disso, reforça a importância de utilizar as vantagens do ‘Marketplace’, permitindo a digitalização da oferta de produtos locais.

A um outro nível, preconiza a definição de uma estratégia municipal para o turismo, em parceria com o tecido associativo empresarial e a Associação de Promoção da Madeira, num mercado altamente competitivo, neste tempo de pós-pandemia.

Neste capítulo, pretende criar um Posto de Interpretação Turística Cultural, com missão inovadora e alargada, incluindo nele uma função cultural e didática ao serviço da população porto-santense e dos turistas.

“Este Posto de Turismo marcará presença nas entradas do Porto Santo, por via aérea e marítima, para acolhimento e acompanhamento de quem nos visita, oferecerá material turístico e terá ainda como objetivo organizar eventos de caráter turístico, otimizando a cultura de entretenimento com base nas tradições históricas e identitárias do Porto Santo”, sublinha.