Utentes denunciam estado de “degradação” da praia de São Tiago

Leitores devidamente identificados do FN vieram, através de fotografias e informações enviadas à nossa Redacção, participar o que consideram ser o estado de degradação que se apresenta a praia do Forte de Santiago.

“Foi participado repetidamente à junta e Câmara e nada fizeram”, referem os nossos leitores, que aproveitam para convidar o presidente da Câmara Municipal do Funchal e respectiva equipa “a virem ao ex libris da freguesia de Santa Maria Maior, o forte de Santiago e respectiva praia, e falar com os pescadores, residentes e verem com os próprios olhos as condições degradantes em que se encontra esta estrutura que é o postal do Funchal e da Junta”.

No local, lamentam estes cidadãos, encontra-se “uma laje bastante degradada, rampa de acesso ao marcompletamente em mau estado,(todos os dias há pessoas que se magoam nesta rampa). Idosos e pessoas de todas as idades usufruem deste espaço com a laje destruída e sem reparação à vista, faltando ainda pintar a parede do forte”.

Ao falar com os mestres do porto, os mesmos referem que todos os anos o forte era caiado e que havia manutenção anual que deixou de ser realizada, informam os queixosos.

“Com agrado vimos  que fizeram obras de reparo em várias zonas da área da junta de freguesia” reparam, sugerindo, por outro lado, que a Câmara realize obras de melhoramento.

“Pedimos que actuem se for necessário para obras de maior intervenção e melhoramento da área envolvente para terem atenção a este espaço e atenção aos relatos e necessidades dos pescadores e banhistas”, sugerem.

O espaço, acrescentam, foi submetido um projecto no orçamento participativo da câmara mas não foi aprovado. Em contrapartida, “os projectos das escolas que já tem orçamento próprio tiveram mais votos…”

O dito projecto incluía melhoramento e praia acessível para pessoas com mobilidade reduzida, alongamento da rampa como os pescadores precisam escadas tipo bombeiro nas áreas em volta do forte para poder ser efectuado resgate em caso de necessidade, etc.