CMF inaugurou “Centro Interpretativo do Caminho de Ferro do Monte”

O edil do Funchal, Miguel Gouveia, acompanhado pelo respectivo executivo municipal, inaugurou hoje o Centro Interpretativo do Caminho de Ferro do Monte, situado no Largo da Fonte. Trata-se de uma obra de requalificação promovida pela edilidade funchalense, que contemplou a criação de um novo núcleo cultural na antiga Estação de Comboio do Monte.

O presidente Miguel Gouveia referiu, à margem da inauguração, que “esta é uma obra que representou um investimento de 400 mil euros e que compreendeu a aquisição do edifício e a sua reabilitação integral em dois pisos. No piso térreo temos um Posto de Turismo e um pequeno auditório, e no piso superior uma sala para exposições, onde está patente uma mostra que nos traz à memória aquele que foi o único comboio que a Madeira teve.”

“Faz hoje precisamente 109 anos que este edifício foi inaugurado originalmente com a ligação de comboio até ao Terreiro da Luta. O momento que estamos a viver com a reabertura deste espaço vem marcar um virar de página para a freguesia do Monte e para o Funchal, devolvendo à memória uma identidade que é nossa, que é Regional, e que tem muito a ver com as características desta freguesia e com o seu romantismo”, acrescentou.

O Centro  Interpretativo do Caminho de Ferro do Monte foi executado com o importante co-financiamento do Turismo de Portugal, tendo o presidente da CMF felicitado “todos os intervenientes, desde aqueles que tiveram envolvidos na obra de reabilitação do edifício, àqueles que procuraram com o seu aporte e com o seu conhecimento contribuir para enriquecer todo o acervo histórico, e claro, a toda a comunidade”. Na ocasião, foi também firmado um protocolo de cooperação com a empresa Teleféricos da Madeira.

O edil convidou todos os funchalenses e madeirenses a visitarem e a se reencontrarem com a história no novo Centro Interpretativo e deixou, igualmente, o convite e as portas abertas a todas as entidades e instituições que “queiram usufruir deste espaço como um local de democracia, procurando trazer para aqui tudo o que de bom a Madeira tem para mostrar, tanto cá para dentro, como lá para fora.”