JPP manifesta solidariedade a jornalistas alvo de despedimento

“Esta opção, que penaliza o seu principal activo (quem dá a voz às notícias), objectivo primeiro de um órgão de comunicação e informação é um duro revés a favor do pluralismo da informação e da estabilidade laboral dos profissionais da informação”, considera o partido, que acrescenta que a situação “fragiliza ainda mais, o conhecido “quarto poder” e cala a voz da informação livre”.

“Com o caminho traçado pela concentração dos meios de comunicação social na Região Autónoma da Madeira, a liberdade de imprensa pode estar em sério risco, assim como a utilização do contexto de Pandemia para estabelecer o clima de medo sobre o veículo de pluralidade informativa”, refere-se.