Sindepor explica porque assinou acordo com o Governo Regional

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros (Sindepor-Madeira) regozijou-se, em comunicado, com o acordo alcançado entre o Governo Regional e os sindicatos da classe.
Em comunicado, congratulam-se pelo facto de ontem, dia 5 de Fevereiro de 2021, ao fim de 3 rondas negociais, tenha sido possível a assinatura final do acordo para a implementação do RHA na RAM, na presença do Vice Presidente,  Pedro Calado, do Secretário Regional, Pedro Ramos e do Presidente  do Conselho de Administração do SESARAM, Rafaela Fernandes.
O Sindepor realça a presença constante nas diferentes mesas do Enfermeiro Diretor, José Manuel Ornelas, do Vice Presidente do SESARAM, Pedro  Gouveia e do Representante dos RH, Filipa Freitas.
Realça ainda o espírito  cooperativo entre as partes que culminou com a elaboração  final do documento.
O Sindepor deu o seu parecer positivo por o acordo ser opcional, por período limitado, apenas neste período pandémico, com acréscimo de 37% sobre o ordenado base.
Quanto a este ponto o Sindepor diz que sob proposta do SINDEPOR houve  concordância também  da ASPE,  no  sentido de aumento para os 45% o que infelizmente não  foi possivel concretizar.
Não foi também possível a contabilização da contagem de tempo para CGA.
O acordo foi assinado tendo em conta que o Governo Regional reforcou os rácios de Enfermeiros no período pré-covid e não  ter neste momento outras opções e ter tido sempre uma postura  de diálogo com o SINDEPOR , às reivindicações de Enfermagem e o apelo à colaboração  sindical.
“Os Enfermeiros aceitaram este pedido apesar da exaustão pois não existem outras soluções. Os Enfermeiros pretendem mais justiça e solidariedade na concretização das suas justas  reivindicações. Este é  um momento critico que exige medidas criticas”, revela o comunicado.