Ricardo Vieira no novo Conselho Estratégico e Programático do CDS

Foto Rui Marote

Ricardo Vieira é uma das 15 personalidades chamadas pelo líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos para integrar o novo órgão consultivo do partido, o Conselho Estratégico e Programático (CEP).

A criação deste conselho foi uma cartada jogada pelo jovem líder centrista por ocasião da moção de confiança que ontem o legitimou na lidernça, embora por 54% dos votos secretos do conselho nacional.

O novo órgão será construtor de propostas e definidor da estratégia política a adoptar pelo CDS. Na opinião do líder, congrega “personalidades da direita social, representativas dos setores mais relevantes da sociedade”.

Entre as personalidades independentes estão Bruno Costa, ex-dirigente do Aliança, doutorado em Ciência Política e professor universitário; Mónica Baldaque, museóloga, pintora e escritora (filha de Agustina Bessa Luís); José Rato Nunes, Director da Escola Superior Agrária de Elvas; Filipe Osório de Castro, economista e empresário; Maria Amélia Valle-Flor, investigadora e doutorada em Estudos de Desenvolvimento; Margarida Gonçalves Neto, psiquiatra; Pedro Teles, doutorado em Economia e investigador do Banco de Portugal; e Sofia Reimão, médica.

Entre os que são filiados no CDS fazem parte do conselho estratégico e programático João Munõz de Oliveira, gestor educativo; Fernando Paes Afonso, gestor; Margarida Bentes Penedo, arquitecta; José Bento da Silva, professor universitário; e Ricardo Vieira, advogado.

Há ainda um antigo militante, que foi dirigente na direcção de José Ribeiro e Castro: João Mota Campos, que foi secretário de Estado da Justiça no Governo PSD/CDS de 2002.