USAM levou reivindicações ao conhecimento do presidente da ALRAM

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira recebeu hoje, numa audiência de apresentação de cumprimentos, a nova direcção da USAM – União dos Sindicatos da Madeira. No encontro, o coordenador da USAM explicou os 27 pontos da Carta Reivindicativa aprovada no congresso de Outubro, que elegeu os novos dirigentes. O aumento do Salário Mínimo Nacional (SMN) para 850 euros “com um acréscimo de 7,5% na Região”, “a redução do horário de trabalho para as 35 horas semanais para todos os trabalhadores” e “25 dias de férias para todos”, foram alguns dos pontos destacados por Alexandre Fernandes.

A União dos Sindicatos pede também um aumento imediato de 90 euros no salário de todos os trabalhadores, nos setores público e privado, assim como a “reposição directa da idade da reforma nos 65 anos ou aos 40 anos (de descontos), independentemente da idade da reforma”, referiu o dirigente.

Da Carta Reivindicativa da USAM consta também um subsídio de insularidade para todos os trabalhadores.

A reunião serviu ainda para uma troca de impressões sobre a crise que está a ser provocada pela pandemia da Covid-19. Alexandre Fernandes considera que faltam “medidas específicas de protecção do emprego”, como a “a proibição de despedimentos numa situação que ninguém estava à espera”.

Os sindicalistas rogaram também o respeito pelos prazos nos pedidos de pareceres dirigidos à USAM pelas Comissões Especializadas do parlamento madeirense.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira prometeu transmitir os alertas e as revindicações aos grupos parlamentares. José Manuel Rodrigues mostrou-se ainda preocupado com os efeitos económicos e sociais da pandemia na Região e desejou à nova direcção as maiores felicidades.