CDU insiste em denunciar desigualdades nas zonas altas do Funchal

A deputada municipal da CDU, Herlanda Amado, esteve hoje em contacto com as populações das zonas altas de Santo António, no Funchal, referindo que “os processos reivindicativos nascidos nas localidades, foram garantindo que ao longo dos anos fossem sendo concretizados novos acessos, permitindo assim a melhoria da qualidade de vida e bem-estar das populações. Mas a problemática da falta de acessibilidades ainda está longe de ser resolvida, quando novos arruamentos continuam a ser prometidos de orçamento em orçamento, mas para desilusão de quem deles precisa, continuam por concretizar no terreno, agravando, deste modo, antigas desigualdades sociais e territoriais. Nas freguesias onde se concentram as denominadas zonas altas e super altas é possível identificar localidades que reivindicam há mais de 20 anos a construção de novos acessos, dotando-as de uma rede viária adequada, o mais próxima possível dos locais de residência. Mas, esses acessos tardam em se concretizar”, insiste esta deputada.

Por isso a CDU apresentou no final de Setembro na Assembleia Municipal uma Proposta de Resolução, aprovada por unanimidade, onde a Câmara Municipal do Funchal deve garantir as verbas necessárias para que sejam concretizadas as obras há muito prometidas e que constam dos últimos orçamentos camarários. Exemplo flagrante, em Santo António, é o tão prometido alargamento do Caminho do Jamboto, prometido há vários anos, mas que tarda em arrancar, denuncia.

“Neste jogo das falsas promessas partilhadas pelos executivos do PSD e PS, desde Albuquerque, passando por Cafôfo e agora Miguel Gouveia, os prejudicados são os mesmos de sempre, as populações. Esta é uma postura inaceitável e reprovável que faz agravar desigualdades sociais e desigualdades territoriais no Funchal”, refere Herlanda Amado.

A deputada municipal não deixou também de criticar a postura da Junta de Freguesia de Santo António, que quando chamada a votar uma Proposta de Resolução da CDU, com o mesmo objectivo de reivindicar verbas para finalmente poder avançar com obras, como o alargamento do Caminho do Jamboto, que curiosamente tinha sido aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal (que decorreu no dia anterior), chumbou a proposta.