PSD considera inqualificável que os madeirenses paguem à banca mais 84 milhões de euros sem o aval do Estado

O grupo parlamentar do PSD considerou ontem “inqualificável” que os madeirenses “tenham de pagar à Banca mais 84 milhões porque o Governo da República recusou-se a dar um aval ao empréstimo da Região”.

Numa iniciativa realizada junto à Assembleia Legislativa da Madeira, o líder parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, salientou que “acabou o prazo para a Região contratualizar o empréstimo de 458 milhões de euros com o aval do Estado”, acrescentando que o facto de o Estado não ter dado o aval ao empréstimo, “um mero documento que não custaria nada ao Estado”, obrigará os madeirenses a pagarem mais 84 milhões de euros.

Jaime Filipe Ramos salientou que o empréstimo destina-se a “dar respostas às necessidades da população seja ao nível do social, do emprego, das empresas, das linhas de apoio, para que não haja mais desemprego, e para que se possa ter uma recuperação económica e social da Região”.

“Esta é uma situação que é revoltante porque estamos a falar de uma matéria essencial numa fase decisiva da Região e do país, onde se esperava solidariedade e ela não existiu, mesmo apesar dos esforços do senhor Presidente da República perante o primeiro-ministro que pelos vistos não foram suficientes”, considerou.

O social-democrata realçou que todas as medidas tomadas para fazer face à pandemia e para a recuperação da Região foram suportadas pelo orçamento regional e pelos contribuintes regionais, sem qualquer solidariedade do Governo da República, “apesar de o Governo Regional sempre ter procurado o diálogo”.