CMF afirma que vai passar a liderar combate à criminalidade e insegurança

O edil funchalense, Miguel Silva Gouveia, reuniu-se com o comandante da PSP na Madeira, superintendente Luís Simões, com carácter de urgência, no sentido de “abordar a crescente intranquilidade pública e a diminuição do sentimento de segurança que se tem vindo a verificar na cidade ao longo dos últimos meses, desencadeada por várias ocorrências criminais, como furtos, ameaças à integridade física e actos de vandalismo. A situação tem vindo a descontrolar-se durante a crise de saúde pública e o período de confinamento”, refere nota da CMF.

Miguel Gouveia afirmou que “a Câmara Municipal do Funchal não vai admitir que este tipo de situações continue a ocorrer e que seja posta em causa a paz social e a segurança que sempre notabilizaram uma cidade como o Funchal. Perante uma situação nova como aquela que estamos a viver, sentimos que as entidades que têm a responsabilidade de actuar estão a ter dificuldades de adaptação e que tem vindo a existir um vazio em termos de capacidade de resposta e liderança, de definição de competências e, acima de tudo, de acções concretas. Ora, isso não pode continuar a acontecer e é por isso que, daqui em diante, assumimos frontalmente que será a CMF a liderar o combate ao vandalismo, à criminalidade e à insegurança na cidade”, garantiu.

O Município afirma estar a definir, para o efeito, um conjunto de acções para aplicar imediatamente no terreno e, neste sentido, a reunião com a PSP foi a primeira de uma série de encontros que estão a ser acertados esta semana, também com a Comarca da Madeira, com outras forças de segurança, com associações sociais que trabalham na rua e com todos os partidos com representação na Assembleia Municipal do Funchal.

O presidente da Câmara salientou a receptividade do Comando para encarar este problema e para associar-se ao esforço de resposta que a CMF está a estruturar.

“Podemos anunciar assim que, já a partir desta semana, serão criadas equipas multidisciplinares entre a PSP e a Fiscalização Municipal, no sentido de intensificar as acções no terreno de dia e de noite, e identificar e acompanhar indivíduos com comportamentos desviantes, que estejam neste momento a criar problemas na rua, e que necessitem de ajuda. Acreditamos que a população já vai começar a sentir a diferença.”

O edil afirma que a “autarquia está igualmente a avaliar todas as soluções, também em articulação com a PSP, que permitam prevenir ou actuar perante actos de vandalismo, ilícitos criminais ou qualquer tipo de fenómeno que gere intranquilidade ou perigo, no sentido de garantir, o mais rapidamente possível, a restituição de condições de segurança condignas para a população, para os nossos comerciantes e para todos aqueles que nos visitam, conforme sempre foi um dado adquirido no Funchal ao longo dos anos”, refere.