Médico a residir nos EUA dá conta de férias frustradas na Madeira por causa de demora de teste à COVID

Marcos Ymayo relatou ao Funchal Notícias umas férias na Madeira que terá de abortar por causa da exigência do teste COVID à saída de Washington. Eis o relato:

“Sou médico, residente nos EUA, MD. Temos férias programadas para o Funchal com saída no dia 13/08 de Washington DC pela TAP com conexão em Lisboa. Hoje recebo email da TAP comunicando que teremos que apresentar teste de covid negativo com no máximo 72 horas de realização ou teremos o embarque negado pela TAP”, relata.

“Infelizmente, e de maneira geral nos Estados Unidos, os testes têm demorado de 10 a 14 dias para sair o resultado”, prossegue.

“Facto é que teremos que cancelar nossa visita de 30 dias ao Funchal, pois tal exigência inviabiliza nossa viagem. Praticamente todos os passageiros nacionais com voos dos EUA para Lisboa estão com o mesmo problema.

A TAP informa que não importa que o teste seja feito no aeroporto da Madeira à chegada, pois é uma nova portaria da DGS (que o Ministério dos Negócios Estrangeiros desconhece, segundo telefonema) a obrigatoriedade de apresentação do teste ao embarque.

Como apresentar algo que não se faz no país?”, pergunta.