Junta de Freguesia do Caniço responde às críticas do PSD da localidade

Junta do Caniço
A Junta de Freguesia do Caniço emitiu ontem um comunicado respondendo às críticas do PSD da localidade. “Ao fim de quase 3 anos de mandato”, diz a nota, “o PSD Caniço apresentou na última assembleia de Freguesia do Caniço, pela primeira vez, uma recomendação que, agora, por pura conveniência e demagogias política, dizem ter sido uma proposta. Ora, as propostas devem ser entregues com 5 dias de antecedência para que as mesmas sejam distribuídas por todos os elementos da assembleia de freguesia”, constata-se.
“Sabemos que o PSD não tem muito respeito por estas práticas democráticas, e que, para mais, entrou na fase desesperada face à proximidade de eleições. Mas mesmo dando o desconto da pouca prática democrática e do desespero, há coisas que não se aceitam.
Aliás, há muito tempo que o  PSD anda desnorteado no Caniço. Isto era algo que nós já sabíamos, mas nunca pensámos que pudesse chegar a tanto”, refere a Junta.
“Mas, afinal,  chegam a tanto e ainda a mais, numa falta de ética política a toda a prova. Este mesmo PSD, preocupado com a crise derivada da pandemia, sim, este PSD que injecta milhões nas Casas do Povo para acudirem às famílias em dificuldades, votou contra a entrada de 19 mil euros nas contas da junta de Freguesia provenientes do PRODERAM e que muito jeito deram e dão nesta fase”, refere-se.
“Este mesmo PSD, que vem agora “recomendar” que a Junta de Freguesia isente os atestados, tem conhecimento que no nosso regulamento de taxas, aprovado neste mandato, consta no Capítulo 1, artigo 3, alínea 2 do mesmo regulamento que: “O pagamento de taxas pode ser reduzido até à isenção total, quando os requerentes sejam, comprovadamente, particulares de fracos recursos financeiros.” Ou seja, são ou não são a favor da isenção de taxas?!?!
Ou seja, o PSD quis apenas fazer o seu número, ao arrepio das regras e ao arrepio da verdade. Porque a verdade é só uma: em situações de precariedade económica a isenção que o PSD queria afinal já existe, e existe não graças ao PSD…
Em política não vale tudo”, conclui-se.