Deputados do PS-M consideram que o retomar da economia “tem de ser regrado e progressivo”

Os deputados do PS-Madeira emitiram uma nota referindo que a batalha contra a Covid-19 ainda não foi vencida, “mas, pouco a pouco, caminhamos juntos, enquanto sociedade, nessa tão desejada superação e retoma à normalidade”. O grupo parlamentar do PS-Madeira defende a retoma faseada e em segurança da actividade económica na Região Autónoma da Madeira, conforme anunciada pelo Governo Regional.

Os dados que nos são publicamente transmitidos, relativamente à saúde pública, indiciam uma avaliação positiva: número baixo de pessoas infectadas, nenhuma morte e um Sistema Regional de Saúde que não foi sobrecarregado, analisa o PS.

“Mas é preciso ter em mente que o fim do estado de emergência, não significa o desaparecimento do vírus. O risco continuará a existir, mas devemos e podemos reduzi-lo ao máximo. Por essa razão o retomar da economia tem de ser regrado e progressivo, com confiança e em segurança. E, numa segunda fase, a reabertura de toda a actividade económica, caso a evolução da pandemia o permita”, opinam os deputados.

Comentando algumas das medidas adoptadas pelo Governo Regional para a retoma da economia regional, nomeadamente com abertura de alguns estabelecimentos de comercio e serviços, os parlamentares socialistas consideram-nas importantes para o futuro da Região, desde que o seu funcionamento seja seguido segundo as recomendações das autoridades de saúde, garantido assim o bem-estar e segurança de toda a população.

“Há ainda a necessidade de esclarecer a população quanto às medidas de segurança adicionais a ser implementadas nos transportes públicos, bem como o aumento do número de carreiras, uma vez que a reabertura dos estabelecimentos de comercio e serviços levará, consequentemente, a um maior fluxo de passageiros em circulação”, dizem os socialistas.

“Há assim uma responsabilidade repartida, por um lado do Governo Regional, definindo regras para os diversos sectores de actividade económica, e monitorizando através de uma testagem alargada aos grupos de risco e pessoas mais expostas no contacto público”, referem. “Defendemos que a estratégia deverá passar por testar, diagnosticar, detectar, isolar e tratar”. Por outro lado, os deputados do PS apontam para a necessidade da “responsabilidade das pessoas e das empresas, seja através do uso de máscaras e no respeito do distanciamento social, bem como na higienização de espaços públicos”.