Paulo Cafôfo desafia Albuquerque a “explicar os problemas” do sector da Saúde

O deputado socialista Paulo Cafôfo desafiou hoje numa conferência de imprensa o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, a explicar à população a situação criada em torno da nomeação do director clínico do SESARAM que levou a demissão da maioria dos directores de serviço, e que tanto está a dar que falar.

Cafôfo referiu que “a Saúde continua, infelizmente, a estar na ordem do dia, na ordem do dia da agenda política, mas também na vida dos madeirenses e porto-santenses, porque estamos no imbróglio e num problema criado pelo próprio Governo Regional e por esta coligação do PSD e do CDS”.

“Os interesses partidários não são coincidentes com os interesses da população, porque, infelizmente estão a ser colocados à frente de tudo o resto”, criticou.

Acrescentou ainda que “a questão relacionada com a direcção clínica e a nomeação do Dr. Mário Pereira parece que não tem um desfecho à vista, apesar de toda esta situação, apadrinhada pelo presidente do Governo Regional e pelo presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, e digo isto porque se confirmou a demissão da maioria dos directores dos serviços e coordenadores de unidade do SESARAM, numa gravidade sem precedentes no próprio país, numa situação grave para o funcionamento do Serviço Regional de Saúde”.

“Esta em causa, não só a idoneidade e a capacidade formativa, ou seja, a capacidade do hospital e do serviço regional em formar novos médicos de especialidade, mas também instabilidade que esta situação provoca no próprio sistema de saúde que não ajuda à resolução dos reias problemas”, acrescentou.

Paulo Cafôfo deixou um desafio ao presidente do Governo, face a “esta situação de guerra na Saúde”: que o mesmo explique, em primeiro lugar, aos médicos qual a solução”. Lamentando a falta de “diálogo”, acrescentou que “a solução política não é o governo ‘meter-se’ nas decisões clínicas, que é o que se tem passado, ou seja, ao governar contra os médicos e outros profissionais de saúde”.

“Vejo com muita preocupação, nesta nuvem sobre o Sistema Regional de Saúde, a questão do próprio hospital novo, onde tivemos notícias que há um atraso no próprio projecto, correndo o risco do mesmo ser revisto”, apontou o parlamentar, criticando o facto desta situação em torno da nomeação director clínico estar a tirar o foco ao que realmente é importante.