PSD critica adiamento da auditoria à FrenteMarFunchal e mostra-se solidário com trabalhadores

A vereação social-democrata eleita à Câmara Municipal do Funchal reiterou, nesta quinta-feira e em mais uma reunião semanal, a sua preocupação perante o encerramento da Empresa Municipal Frente Mar Funchal, manifestando a sua “total solidariedade para com todos os funcionários afectados por esta situação”.

A vereadora Joana Silva salientou que o adiar progressivo à auditoria proposta e aprovada em sede de Assembleia Municipal, às contas da “Frente Mar” só pode ter sido “uma tentativa desesperada de esconder a má gestão vigente na empresa, que se tornou, ao longo destes anos e com as vereações socialistas, apenas e só numa autêntica agência de emprego, sem qualquer outro rumo, sustentabilidade ou capacidade de resposta”.

“Esta situação não é nova, este desfecho é um naufrágio que já vinha sendo anunciado, há muito tempo, pelo PSD e, infelizmente, as preocupações que sempre demonstramos, embora sem nunca serem atendidas pelo Executivo, vieram a revelar-se acertadas e estavam bem fundamentadas”, sublinha a vereadora social-democrata-

Ao longo do ano de 2019, “as promessas e afirmações feitas pelo anterior presidente de Câmara e pelo anterior vereador das Finanças e atual presidente, sempre apontaram em sentido contrário a este desfecho”, faz notar esta responsável política.

Considerando lamentável que esta situação tenha sido menosprezada pelo Executivo Socialista, que “sempre garantiu, ao longo do ano de 2019, que a saúde financeira da empresa era boa”, Joana Silva assevera que “o PSD quer e vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que sejam apuradas as responsabilidades, até às últimas consequências. Em nome dos funcionários e famílias, mas, também, em nome da rigorosa gestão dos dinheiros públicos que se exige às instituições”.