Rui Barreto diz que sectores tradicionais beneficiarão de “transição digital”

O secretário regional da Economia, Rui Barreto, esteve hoje na iniciativa “Building the future together”, promovida pela ACIF, em co-organização com outras entidades. Na ocasião, o governante considerou a iniciativa “importante”, na qual se discute “a economia do futuro”. A condição periférica da Madeira pode ser mitigada pelas novas tecnologias, declarou. “É uma área na qual temos enorme potencial para exportar”, referiu, fazendo lembrar as antigas declarações de Alberto João Jardim, de que a Madeira iria “exportar inteligência”.

“Temos felizmente aqui empresas tecnológicas a exportar conhecimento”, constatou. O GR disse, “tem estado empenhado ao longo do tempo na agenda digital”. O investimento no cabo submarino que ligará a América do Sul à Europa, passando pela Madeira, “constituirá um incentivo a estas empresas”, entendeu.

“Vivemos um tempo em que é preciso mais informação (…) Estamos na era do conhecimento e da vanguarda”, disse, considerando que o mesmo não se adquire só nas escolas e universidades, “mas, muito em particular, nas empresas que investem no conhecimento”, criando “valor”.

O investimento no digital, afirmou, “é muito importante para áreas em que a RAM de facto dá cartas”. Turismo, vinho Madeira e bordado, além da economia do mar e na economia circular, tudo são áreas que podem beneficiar do desafio da “transformação digital”, declarou Rui Barreto.

No próximo quadro comunitário de apoio, afirmou, uma das áreas onde incidirá grande parte dos incentivos será, precisamente, a transição digital.