PS acusa Governo Regional de reter verbas que são das autarquias

A concelhia do Funchal do Partido Socialista acusa o Governo Regional de ser centralista e de reter verbas que não devem ser suas. A reação surge em consequência do Congresso da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), que decorreu em Portimão e no qual participaram autarcas da Madeira.

O presidente da Concelhia do Funchal defende a importância e o respeito pelos autarcas legitimamente eleitos pela população, «ao contrário do que quer fazer o Governo Regional, com a criação de grupos de trabalho que ninguém sabe quem são e que continuam sem fazer o seu devido trabalho, pois, passado um ano e meio após a aprovação de legislação nacional, continuamos a aguardar pela sua adaptação». «Não compreendemos como é que o Governo Regional retém verbas que não devem ser suas e que os autarcas do PSD-Madeira não se pronunciem sobre isso, quando em Portimão o que assistimos foi à defesa do poder local», afirma o também presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo.

Paulo Bruno Ferreira garante a defesa intransigente do poder local, explicando que são os autarcas quem melhor conhece a população, as suas necessidades e os seus anseios. «Não daremos tréguas até que sejam adaptadas à Região as leis nacionais que dão mais poder aos municípios e freguesias, ficando assim equiparados aos seus congéneres nacionais», refere o responsável, acrescentando que o PS-Funchal «não pode aceitar que tenhamos um Governo Regional que se diz autonomista, mas que, nos atos, é o Governo mais centralista do País».

O autarca defende também a necessidade de se realizar uma reunião dos membros na ANAFRE na Região Autónoma da Madeira, considerando que as 54 freguesias não dialogam entre si e que há que promover rapidamente a conversa entre quem representa as freguesias e foi eleito pelas populações.