PTP avisa para estado da Saúde e diz que este sector, e o Social, fazem cair governos

O PTP fez questão de afirmar hoje, em comunicado, que está “vigilante” e “atento aos sinais”. “A área da saúde, e do social, fazem cair governos, este novo governo de coligação, não será excepção”, vaticina esta força política.

“Expliquem, como se aceita nomear uma nova direcção clínica, entregue por sugestão do partido “triciclo”, com um passado conturbado: agora que se exige profissionalismo e competência, não se pode arriscar, uma “equipe” de vingadores, acima de tudo exige que se conheça uma realidade, que já não é, a de um passado recente”, refere a nota à imprensa.

O partido desafia ainda: “Expliquem, o posicionamento de certos, profissionais, em entrevistas públicas, os mesmos, que continuam a dispor das estruturas do SESARAM, onde se confundem “conflitos de interesses” numa promiscuidade entre sectores; o público, onde não interessa nada em aumentar a produtividade, e o privado, que interessa aumentar os lucros, desviando para o sector publico, tudo o que ponha em causa a sua sustentabilidade: a nova coligação quer imprimir um novo rumo e acabar com estes conflitos entre sectores na saúde?”

E conclui ainda com uma outra pergunta/desafio: “Expliquem se a intenção da tal “cama hospital”, substituindo a actual, “cama serviço”, não poderá conduzir, a uma gestão ao molhe, tudo ao “monte e fé em Deus”: não se estará a regredir e a voltar aos hospícios ou sanatórios, ou pior, a albergues na saúde, onde se trata o povo, realmente como merece”.

Para o PTP, há que estar atento à mercantilização da saúde, onde as PPPs ganham milhões. “Nomeadamente, estamos atentos à “quadrantes”; e aos “atalaias”, estamos atentos ao, desinvestimento no sector publico, e onde as vantagens de tudo, ser tratado, em cima do joelho; convém: listas de espera e de abandonados, são filões para negócios de amigos. A coligação estará interessada, em manter este actual cenário? Então o risco de cair é grau crescente”.