Dianne Reeves cantou e encantou no Funchal Jazz

Fotos Rui Marote

Terminou a edição deste ano do Funchal Jazz com Dianne Reeves, uma intérprete mais que consagrada e cujas notáveis aptidões vocais não deixaram lugar a dúvidas sobre o porquê de ser universalmente considerada uma diva contemporânea neste género musical. Aliás, a sua capacidade interpretativa, do fraseado ao “scat singing”, é permeável a todo o tipo de estilos. Demonstrou-o desde o início, com um tema dos Fleetwood Mac.

Actuou com Romero Lubambo, na guitarra acústica e eléctrica, Peter Martin no piano, Reginald Veal no contrabaixo e baixo eléctrico e Terreon Gully na bateria. Tendo conquistado cinco vezes o Grammy, para o qual foi nomeada nove vezes, foi nomeada ”NEA Jazz Master” pelo National Endowment for the Arts em 2018. Recebeu também um doutoramento honoris causa pelo Berklee College of Music e pela Julliard School.