JPP foi ao Porto Santo propor que o preço das passagens não deve ir além dos 20 euros

JPP Porto SantoO JPP esteve no Porto Santo, onde cumpriu com uma atividade do grupo parlamentar, para apresentar uma nova proposta que entende “ser prioritária para assegurar a mobilidade e dar prioridade aos porto-santenses, no pleno respeito pela continuidade insular”. Élvio Sousa falava na proposta que visa fazer com que “os portossantense paguem um preço acessível de transporte aéreo, que não paguem mais de 20 euros e isto é uma solução que passa por dar maior oportunidade ao portossantense para se deslocarem à Madeira”

O JPP quer garantir uma subsidiação à volta de mais de 40 euros por trajeto, resolvendo-se, como refere em nota enviada à comunicação social, “com o cumprimento daquilo que consta no Programa de Governo Regional. Assumir essa despesa é cumprir o Porto Santo. Ponto final”.

Segundo Élvio Sousa “aquilo que temos vindo a constatar da mobilidade marítima e aérea é condicionante, uma vez que o contrato de concessão negociado entre o governo PSD/CDS e a DaVinci encareceu o custo de vida e a deslocação do porto-santense, nomeadamente para a ilha da Madeira.”

“Nós estimamos que, de um universo de 25 passageiros por dia aquilo que orçamento regional poderá custear para apoio ao portossantenses andará à volta dos 700 a 800 mil euros. O Porto Santo tem sido abandonado, nos últimos anos, pelo Governo Regional. Prova disso tem sido o subsidio ao passageiro que tarda em ser aplicado, apesar das promessas”.

Uma proposta que visa, também, “refrescar a economia e refrescar a acessibilidade da população do Porto Santo para o Funchal”.