Esgrima madeirense juntou duas gerações em Santana no passado sábado

A prova de esgrima “Taça Santana de Benjamins e Seniores” juntou duas gerações no passado sábado no pavilhão de Santana. Organizada pela Associação de Esgrima da Madeira em parceria com o CDRSantanense e com o apoio da Câmara Municipal de Santana, permitiu a prática desportiva aliada à partilha de experiências e convívio.
Nos Benjamins B, Lourenço Freitas dos Salesianos obteve o 1º lugar; Jenny Gouveia do CDRSantanense ficou em 2º e Artur Pires do CD 1ºMaio em 3º. Estão também de parabéns os participantes João Barbosa (ADRPD), Gabriel Barros (CDRS), Daniel Nóbrega (1ºMaio), Luís Sousa (Salesianos), Vicente Silva (Salesianos), Frederico Teixeira (ADRPD) e Francisco Faísca (CDRS).
Na prova de Benjamins A, Lara Luís (CDRSantanense) conquistou o 1º lugar do pódio. Miguel Oliveira (CD1ºMaio) ficou no 2º e Diogo Machado (CD1ºMaio) bo 3º.
A AERAM salienta que tiveram também muito mérito os participantes Marco Nóbrega (1ºMaio), Inês Jesus (Salesianos), Alix Silva (CDRS), Lourenço Garcês (1ºMaio), Marco Azevedo (CDRS), Lucas Gonçalves (ADRPD) e Liana Gonçalves (Salesianos).
Ao pódio dos Seniores Masculinos subiram, em 1º lugar, Diogo Gouveia (CD1ºMaio), em 2º Victor Bettencourt (CDRSantanense) e em 3º José Freitas (CDRSantanense) e Lídia Sousa (CD1ºMaio) que por decisão técnica jogou no género masculino, mostrando que a experiência de ex-atleta internacional ainda se faz notar.
Na prova de Seniores Femininos, o ouro foi entregue a Lídia Sousa (CD1ºMaio); a prata à Teresa Afonseca (CDRSantanense) e o Bronze a Marta Fernandes (ADRPD) e a Sara Mota (CD1ºMaio).
Entretanto, e no fim-de-semana de 4 e 5 de Maio, a esgrima madeirense marcou presença no Campeonato Nacional de Juniores de Florete, representada por quatro atletas masculinos e três femininos do CDRSantanense e 4 atletas do CD1ºMaio. Destaque para o resultado do Alexandre Câmara (CDRSantanense) que se situou em 16º lugar, entre 30 participantes. É de salientar que a maioria dos atletas da Madeira participantes ainda são dos escalões de Iniciados e Cadetes, mas têm apostado na participação de provas de escalões superiores para ganharem ritmo competitivo e na perspectiva de uma melhor evolução, refere a AERAM.