Cafôfo salientou investimento da CMF no Parque Ecológico do Funchal

Foto Rui Marote

O edil funchalense Paulo Cafôfo, acompanhado pelos vereadores Idalina Perestrelo e Bruno Martins, marcaram hoje presença no Parque Ecológico do Funchal, para acompanhar a formação de combate a incêndios florestais que está a ser ministrada aos
colaboradores do Parque, utilizando novos equipamentos individuais e ferramentas de trabalho recém-adquiridas. Em causa, está um investimento co-financiado de 600 mil euros, ao abrigo do PRODERAM, que prevê, igualmente, a aquisição de uma viatura pesada todo-o-terreno com grua e kit de combate a incêndios e, ainda, de uma escavadora.

Paulo Cafôfo referiu-se, na oportunidade, à “a preocupação constante da autarquia para com o Parque Ecológico, desta feita com um projecto que tem impactos quer ambientais, quer ao nível da segurança da cidade. Esta é mais uma medida de prevenção entre diversas outras que temos materializado ao longo do ano, desde logo com a limpeza das infestantes, ou ainda com a plantação e reflorestação do Parque que, como é de conhecimento geral, foi fustigado diversas vezes nos últimos anos.”

Este projecto pretende instruir para a prevenção e combate primário contra incêndios. A formação está a ser ministrada ao longo desta semana, pelo Serviço Regional de Protecção Civil a 16 colaboradores permanentes do Parque, já com os respectivos equipamentos para a sua protecção e segurança individual. Numa situação de perigo ou urgência, a primeira intervenção será da
responsabilidade destes colaboradores, logo estes precisam de ter todas as condições para exercer a sua missão.

Neste contexto, disse ainda Cafôfo, está também a decorrer um programa de reflorestação do Parque Ecológico, orçado em 1,4 milhões de euros, iniciado no ano passado e com uma duração de três anos. Um trabalho que implica “a retirada de plantas infestantes e a plantação de cerca de 288 mil plantas no total, e que prossegue a bom ritmo. Igualmente a serem reabilitados estão 13 km de trilhos, com a respectiva sinalética, que virão incrementar a qualidade dos acessos dentro do Parque (…)”.