Albuquerque quer Madeira em 2020 com taxa de IRC igual à da Irlanda (12%)

Albuquerque IDE 13 de maio de 2019 BO presidente do Governo Regional esteve hoje presente na cerimónia de entrega de apoios a empresas, no âmbito do IDE. E fez uma intervenção a começar com números, referindo que, desde 2016, o Governo já disponibilizou 78 milhões de euros para apoios às empresas, considerando que essa verba, “muito dinheiro”, resulta de uma circunstância que “deve ser lembrada, que é o facto da Região estar integrada an União Europeia”.

Albuquerque diz falar, diariamente, com pessoas que nem sabem que há eleições para o Parlamento Europeu, estão desinteressadas. Por isso, é bom lembrar a importância que a UE tem representado para a Região”.

Para os empresários “que são líderes de opinião”, o chefe do executivo afirma querer “prestar contas”, apontando que “em 2015 estávamos sujeitos ao Plano de Ajustamento Económico e Financeiro. E o primeiro desafio era libertar do espartilho para que a Região pudesse voltar a ter financiamento no mercado, o que aconteceu logo em 2016. Este passo, difícil, numa altura em que os constrangimentos eram muitos, foi decisivo para iniciarmos um programa de recuperação, que hoje é constatável. E não estamos a falar de cor e os indicadores dizem que conseguimos, não só colocar as contas em ordem, mas também ter superavit há quatro anos e com crescimento há 68 meses”.

Em matéria fiscal, Miguel Albuquerque anunciou que em 2020 quer atingir “a taxa da Irlanda, que é de 12%”, com o objetivo de cativar as empresas, lembrando que a Madeira é a Região do País que tem a taxa mais baixa. E remete para os dados estatísticos nacionais para a existência de um quadro fiscal elevado “como sempre dissemos”.