APAV divulga números preocupantes de 2018, com 39 mortes, 29 tentativas de homicídio, 15.964 casos de violência doméstica, 35 vítimas apoiadas na Madeira

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima apresentou hoje o relatório de 2018, onde podemos observar alguns elementos que colocam, em números, aquela que é a sensibilidade diária dos acontecimentos relacionados com diversos tipos de violência doméstica, sobre as mulheres, a maioria, sobre crianças, também sobre homens. O ano passado, a APAV apoiou 926 pessoas idosas (+65 anos) vítimas de crime (em média, 3 por dia e 18 por semana); 941 crianças e jovens (em média, 3 por dia e 18 por semana); 854 homens adultos (em média, 2 por dia e 16 por semana) e 5.173 mulheres adultas (em média, 14 por dia e 99 por semana). Na Madeira, os registos apontam para 35 vítimas apoiadas, sendo 22 no Funchal, 8 em Santa Cruz, 2 em Machico, 1 em Câmara de Lobos, 1 na Calheta e 1 em São Vicente.

Os dados de 2018 indicam a manutenção da tendência de anos anteriores, com uma maioria de vítimas do sexo feminino (82,5 %). Do total das 9.344 vítimas apoiadas pela APAV em 2018, 74,1 % foram vítimas de violência doméstica (6.928). Destacam-se ainda, por tipo de crime, crimes de violência sexual, nomeadamente o abuso sexual de crianças (348 crimes), o stalking/perseguição (470 crimes) e o cibercrime (41 crimes). Os dados expressam bem o problema que está em debate: 30 homicídios, 20 tentativas de homicídio, 15.964 episódios de violência doméstica, física e psiquica.

No ano de 2018, segundo o que foi divulgado, a APAV registou um total de 46.371 atendimentos, verificando-se um aumento de 31 % no número de atendimentos de 2016 a 2018 – quando, de 2015 a 2017, se havia verificado um aumento na ordem dos 19 %. Verifica-se ainda, de 2017 para 2018, um crescimento de 1,8 % no número de vítimas apoiadas pela APAV (de 9.176 em 2017 para 9.344 vítimas em 2018) e um pequeno decréscimo no número de crimes e outras formas de violência reportados (de 21.161 em 2017 para 20.589 em 2018)”.

Já no que diz respieto ao total das 9.344 vítimas assinaladas em 2018, a APAV registou 9.665 autores de crime. Destes/as, mais de 80% eram do sexo masculino e tinham idades compreendidas entre os 35 e os 54 anos (21,4%). Cerca de 29,9% eram casados e dispunham de uma ocupação profissional (34,5%). A vitimação continuada prossegue com valores acima dos 76% em 2018. Já os locais do crime mais referenciados para a ocorrência da vitimação foram a residência comum, a residência da vítima e o lugar/via pública. Somente em 47,8% das situações foi formalizada queixa/denúncia junto das entidades policiais.”