Assembleia Geral do Naval chumba propostas da Direção de António Fontes

A Assembleia Geral extraordinária do Clube Naval do Funchal, ontem realizada para avaliar diversas propostas da direção liderada por António Fontes, teve um desfecho que muitos não esperavam, o chumbo de praticamente todas as propostas apresentadas, com exceção da atribuição do título de sócio de Mérito do CNF a Mafalda de Freitas, a anterior presidente do clube.

De resto, segundo vários associados relataram ao Funchal Notícias, “foi tudo chumbado”, desde a passagem da Fundação à redução da jóia, passando pela alteração de alguns pontos do regulamento interno e ainda a possibilidade dos sócios subscreverem produtos financeiros associados ao clube, um resultado que deixa a liderança de António Fontes numa posição, no mínimo, “estranha”, dizem.

O C.N.F. foi fundado a 1 de Maio de 1952 e ao longo deste meio século de existência, “tem desenvolvido um papel importantíssimo no incentivo e apoio aos desportos náuticos, tanto a nível regional como nacional, tendo inclusivamente atletas seus representantes, em competições de nível internacional e olímpico nas representações nacionais em Seoul em 1988, Barcelona em 1992 e recentemente, Pequim em 2008”, como refere nota histórica no site da coletividade.