Visita à Central Hidroelétrica da Calheta com anúncio de 10 milhões para baterias

O vice-presidente do Governo Regional esteve, hoje, numa visita à Central Hidroelétrica da Calheta III, acompanhado pelo representante da Comissária Europeia com a pasta da Política Regional e da Energia, Corina Cretu, bem como pelos secretários de Estado Adjunto da Mobilidade, José Mendes, e da Energia, João Galamba, sendo que na ocasião houve oportunidade de uma deslocação à Barragem do Pico da Urze, no Paul da Serra.

Pedro Calado considera que “este projeto da Central Hidroelétrica vai marcar o nosso tempo, um projeto de cerca de 75 milhões de euros” e deverá estar concluído em agosto,, referindo a relevância do mesmo para o futuro, para as novas gerações, naquilo que se prende com as energias alternativas.

O vice presidente aproveitou o momento para lembrar que no dia 26 de maio há eleições europeias e para a importância de mantermos este tipo de ajudas da União Europeia, designadamente nas questões ambientais e ainda bem que já existem jovens sensibilizados para estas realidades. “É preciso que estejamos bem presentes na Europa”, alerta.

João Galamba, secretário de Estado da Energia, considerou este “um projeto extraordinário, que resulta de uma colaboração entre governos, central e regional, com a Empresa de Eletricidade da Madeira, que vai dar soluções que são ainda mais importantes por estarmos numa ilha. É um investimento financiado em 63 milhões pelo POSEUR, sendo que o governante da República aproveitou o momento para anunciar a aprovação, também ao abrigo do POSEUR, que uma verba de 10 milhões de euros, destinados à instalação de baterias. É com grande orgulho que estamos aqui, a apresentar este projeto”.

O representante da Comissária Europeia com a pasta da Energia, Corina Cretu, chama-se Jan Mikolaj Dzieciolowski e referiu, aos jornalistas, que se trata de uma grande oportunidade e de um bom exemplo de utilização de fundos europeus”, esperando que este projeto seja impulsionador para que haja, no futuro, ainda mais investimento em energias renováveis na Madeira”.