Tranquada Gomes refere a grande dignidade de D. Maurílio no “caminho de volta para o Pai”

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira “lamenta o falecimento do arcebispo madeirense D. Maurílio Jorge Quental de Gouveia”, numa nota enviada à comunicação social. Tranquada Gomes faz referência que D. Maurílio “enfrentou o último período da sua vida com grande dignidade, serenidade e imensa fé, no “caminho de volta para o Pai”, tal como me referiu durante a visita que efetuei em dezembro de 2018, no eremitério de Gaula. O falecimento de D. Maurílio de Gouveia representa uma grande perda para a sociedade madeirense. À família enlutada, o Presidente da Assembleia endereça sinceras condolências”.

A nota do gabinete do presidente do Parlamento Regional recorda que “D. Maurílio era natural do Funchal, foi ordenado bispo na Sé do Funchal em 1974. Em 1978 foi nomeado arcebispo titular de Mitilene e vigário-geral do patriarcado de Lisboa e, três anos depois, arcebispo de Évora, tendo completado 27 anos à frente desta diocese, num ministério fortemente marcado pelo caráter de proximidade às pessoas. Homem de assinalável cultura e humanismo, foi reconhecido pela comunidade em geral e pela eclesiástica em particular, pela excelência da ação pastoral que desenvolveu”.