Vigília sábado junto à Assembleia alerta para grave situação na Venezuela e pede à Região para não abandonar comunidade

A comunidade lusovenezuelana residente na Madeira está preocupada com a grave situação que se vive atualmente naquele país. E é essa a razão que leva à convocatória de uma uma vigilia solidaria intitulada “Una Vela Por Venezuela”, no dia 16 de março, sábado, pelas 18.30 horas.

O objetivo, referem os organizadores, é “promover o reencontro da comunidade, as palavras de ordem com as atualizações relativas aos ultimos acontecimentos vividos naquele país, os testemunhos das vítimas e familiares dos afetados, e até a participação de partidos políticos. O local escolhido para esta concentração foi no largo frente a Assembleia Regional, com o intuito de fortalecer, junto das autoridades madeirenses, o compromisso de não abandonar o povo venezuelano nem a comunidade madeirense que reside na Venezuela”.

“Neste momento a Venezuela padece de uma crise humanitária sem precedentes na América Latina, com um completo colapso da estrutura social básica, começando pelos serviços minimos como a o acesso à electricidade ou água potável, a falta de alimentos e medicamentos, a insegurança nas ruas, e a ausência do direito a contestar o regime de Nicolás Maduro. A este dantesco panorama, juntam-se as centenas de presos politicos, privados de liberdade e nalguns casos sem direito a uma correta defesa, uma lista interminável de desaparecidos, alguns jovens e até crianças e o fecho das fronteiras terrestres com o Brasil ou a Colombia”, sublinha um comunicado enviado às redações da comunicação social.

“Nicolás Maduro cada vez mais insolado, pretende com violência, calar aos dissidentes pois tem as forças armadas do seu lado. Incorre em penas de crimes contra a humanidade, num acto de genocídio”, refere a mesma nota.