Incêndio no prédio próximo do Largo do Pelourinho está extinto; bombeiros permanecem toda a noite no rescaldo

Fotos: Luís Rocha

O incêndio no antigo prédio onde funcionou em tempos a Insular de Moinho está declarado como extinto. Isso mesmo foi confirmado ao Funchal Notícias pelo vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, que se encontrava no local.

Os bombeiros agora permanecerão toda a noite no local, em fase de rescaldo do sinistro, para controlar possíveis pequenos reacendimentos e garantir a segurança de pessoas e bens.

Amanhã de manhã os responsáveis da CMF contam fazer nova incursão ao local, disse Miguel Gouveia, desta feita acompanhados também por técnicos do Laboratório Regional de Engenharia Civil, para avaliar das condições estruturais do edifício.

Entretanto, a área circunscrita em redor do edifício encontra-se encerrada à circulação, a qual se processa todavia de modo normal na Rua Direita.

 

Na zona as muitas pessoas que observaram o trabalho dos bombeiros e o espectáculo dantesco do fogo começaram já a desmobilizar, mas ainda há várias dezenas que permanecem no local.

 

São muitos os veículos dos bombeiros de várias corporações, incluindo Santa Cruz e Câmara de Lobos, que permanecem ainda na área, bem como ambulâncias e viaturas policiais, que encerraram diversas ruas e passagens ao trânsito automóvel e de peões.

Levantou várias interrogações entre os locais e foi directamente questionado pelo jornalista da TVI o vereador da CMF João Pedro Vieira, com o pelouro da Protecção Civil, sobre se a Câmara vai reavaliar a permanência naquela zona de uma empresa de construção civil com materiais altamente inflamáveis. João Pedro Vieira prometeu que a autarquia tomará, no rescaldo desta ocorrência, boa nota da necessidade de intervir naquela área.