PPM alertam para mau serviço dos CTT, inclusive nas zonas altas do Funchal

O PPM Madeira veio mostrar-se, num comunicado, preocupado com o actual mau sistema dos CTT. Para o dirigente João Noronha, “nota-se que os correios de Portugal, que outrora foram considerados o primeiro da Europa e o terceiro a nível mundial, ao que parece não passam hoje e desde a sua privatização, de mais um grupo banqueiro que resta saber se num futuro próximo não iremos e mais uma vez, pagar pela falência do mesmo”.

Referindo-se ao encerramento de lojas em vários lugares da Região, mas também ao nível nacional, aos atrasos das entregas de correspondência que integram pensões, subsídios de desemprego ou facturas para pagar, João Noronha dá conta também de lhe ter sido dito por populares em contacto nas zonas altas do Funchal “que nem sempre o carteiro aparece e nem tem dias certos para as entregas.”

Para o PPM Madeira será necessário, pois, repensar medidas para que os CTT possam voltar a ser uma empresa pública. “Nem tudo pode ser privatizado para o bem dos seu funcionários e população portuguesa, que merece mais humanismo e menos interesse pelo grande capital”, refere o dirigente partidário.