Câmara do Funchal passa colaboradores a efetivos

CMF precários A
Paulo Cafôfo presente na celebração dos contratos a colaboradores que passaram a integrar os quadros efetivos da Câmara do Funchal.

Foram hoje assinados, no Salão Nobre dos Paços do Concelho do Funchal, os primeiros contratos do total de 27 novos colaboradores que serão integrados de forma efetiva nos quadros da Câmara Municipal do Funchal, ao abrigo do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários, lançado pelo Governo da República.

O Executivo Municipal esteve presente na cerimónia, com Paulo Cafôfo a relembrar o investimento “significativo” que o Município tem realizado nos Recursos Humanos, ao longo dos últimos anos. “Em termos de orçamento para 2019, o investimento em Pessoal aumentará três milhões de euros. Pode não ser um investimento visível lá para fora, mas é fundamental apostarmos nos nossos colaboradores para os serviços que temos de prestar, seja através das progressões nas carreiras, da mobilidade intercarreiras, do lançamento de novos concursos, mas também da resolução de uma situação como esta dos precários, que esteve durante muito tempo bloqueada.”

No final deste processo extraordinário de regularização, serão 27 os novos colaboradores a integrar os quadros da Autarquia, sendo que todos eles já desempenharam funções no Município nalgum período, ao longo dos últimos três anos, em posições que foram agora consideradas imprescindíveis pelos serviços. “Nestes últimos anos, não pudemos oferecer a estas pessoas a estabilidade que elas mereciam e a estabilidade que a Autarquia necessita. Este é, por isso, uma meta com muito significado para nós, graças à ação do Governo da República, e é toda a estrutura técnica da Câmara que sai a ganhar, com quadros jovens, qualificados e motivados, que muito mereceram esta oportunidade.”

“Nos últimos anos, como toda a gente sabe, sentimos muitas dificuldades devido a questões orçamentais, tendo havido, desde a intervenção da troika no nosso país, uma redução brutal em termos de Recursos Humanos na Função Pública. Isto teve consequências, essencialmente para a gestão da nossa cidade, porque aquilo que é executado deve-se sempre ao vosso trabalho e à vossa missão.”

“Hoje, estão reunidas as condições para uma nova era em termos de serviço público, porque ser funcionário público deve ser uma honra, através do trabalho que se presta aos outros, e nós queremos que vocês tenham orgulho em serem colaboradores desta casa e do Funchal. Tenho, por isso, a certeza de que este investimento que está a ser feito em vós, que é de meio milhão de euros anuais, se vai repercutir na cidade, nas políticas que são feitas e na qualidade de vida dos nosso cidadãos.”