Madeira quer inverter queda de 6% no mercado britânico

WTM 2
A presença da Madeira no Worl Travel Market visa a aposta no mercado britânico.

Confiante na recuperação do mercado beritânico para a Madeira – que até agosto, apresentava quebras na ordem dos 6%  – a secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, diz haver «uma estratégia concertada entre os parceiros públicos e privados do setor no respeitante ao estímulo da procura» e refere que tudo virá a ser feito para garantir que “mais turistas britânicos possam visitar o destino, concretamente nesta estação, ainda que tenhamos de estar atentos aos efeitos resultantes do BREXIT e da consequente desvalorização da libra e, naturalmente, à concorrência que surge agora em alta por parte dos destinos da bacia do mediterrâneo e do norte de África».

WTM 1
Paula Cabaço considera ser este o momento certo para apostar na recuperação do mercado britânico.

Paula Cabaço está no Worl Travel Market, em Londres, considerando ser este “o momento certo para promovermos, em força, o nosso destino junto dos turistas britânicos e para estimularmos, ainda mais, a procura, num mercado que é fundamental e estratégico, precisamente numa altura em que a grande maioria dos lugares de avião para a Madeira, provenientes do Reino Unido e para a estação de Inverno, se encontra reposta, ao contrário do que sucedeu ao longo deste ano».

Paralelamente à redução das quebras sentidas desde o início do ano até agora, os resultados que a Madeira apresenta são, ainda assim, inferiores aos registados nas restantes regiões do país, concretamente Algarve ou Lisboa. «No acumulado a agosto, temos quebras, no respeitante aos hóspedes e dormidas do Reino Unido, que rondam os 6%, quando no Algarve oscilam entre os 9 e os 11% e, em Lisboa, os 9%», disse.

Recorde-se que até ao passado mês de agosto, o mercado britânico foi responsável pela vinda de mais de 211 mil turistas para a Madeira, com mais de 1 milhão e 297 mil dormidas registadas na hotelaria regional.