Casa-Museu Frederico de Freitas acolhe sábado a última conferência do “Dar a Ver”

A Casa Museu Frederico de Freitas recebe, no sábado, dia 3 de Novembro, pelas 11 horas, a última conferência deste ano integrada na III edição do Projecto Cultural “Dar a Ver”, promovido pela DRC.

Com a temática “A Arte em Portugal no século XIX”, esta conferência será protagonizada por Raquel Henriques da Silva, e focará sobretudo uma abordagem à pintura portuguesa da segunda metade do século XIX, que manifesta grande proximidade às questões primordiais na cena artística internacional.

A maior divulgação e projecção do vasto património cultural que têm vindo a ser possibilitadas através desta iniciativa reforçaram-se nesta III Edição, cumprindo-se, assim, a estratégia de valorização da oferta cultural existente na Região e a promoção do seu acesso e partilha junto de toda a população, tanto residente quanto visitante, refere uma nota governamental.

Este Projecto, materializado através da Direcção Regional da Cultura (Direcção de Serviços de Museus e Património Cultural), tem vindo a possibilitar, ao longo dos últimos três anos, a abordagem, por especialistas locais e nacionais de aspectos relacionados com a diversidade cultural conservada in situ, ou já transitada para os museus, em visitas guiadas e conferências levadas a cabo em vários locais.

A participação nestas atividades é gratuita, embora sujeita a uma inscrição prévia, através do endereço de correio eletrónico daraver.drc@gmail.com ou pelo telefone 291211830.

Raquel Henriques da Silva é uma conhecida especialista, doutorada em História, variante História da Arte (séculos XIX-XX), pela Universidade Nova de Lisboa, onde também é professora no Departamento de História da Arte do qual é coordenadora executiva desde 2015. Lecciona os seminários de Mestrado em História da Arte do Século XIX e coordena os cursos de doutoramento.

É autora de diversos estudos de investigação e divulgação nas áreas do urbanismo e arquitectura (século XIX-XX), artes plásticas e museologia. Tem sido comissária de exposições de arte.

Foi directora do Museu do Chiado (1994-1997), do Instituto Português de Museus (1997-2002) e vogal da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República. Integrou ainda, o Conselho de Administração da Fundação Serralves (2000-2006) e presentemente integra o Conselho de Administração da Fundação Arpad-Szenes-Vieira da Silva.

Desde 2018 é a directora científica do Museu do Neo-Realismo, em vila Franca de Xira.