JPP “rompe” com Cafôfo e abandona coligação no Funchal

lvio Sousa rompe
“Mais recentemente, têm crescido as pressões centralistas de Lisboa e de grupos económicos monopolizadores recém-chegados à nova conclave”, disse Élvio Sousa. 

O partido Juntos pelo Povo decidiu romper com a Coligação no Funchal, anunciou o secretário-geral daquela estrutura partidária, na sequência da reunião da Assembleia Concelhia. Élvio Sousa já deu conhecimento dessa decisão a Paulo Cafôfo.

De acordo com um comunicado, o JPP revela que “tem vindo a analisar o papel do Grupo Confiança no Funchal, onde o próprio deputado municipal indicado pelo JPP, Orlando Fernandes, se tem queixado de ser preterido nas suas sugestões e de ser censurado previamente ao nível das suas propostas. O JPP tem que estar do lado dos seus membros, tal como tem sido seu apanágio”.

Élvio Sousa diz que “a situação está cada vez mais insustentável. Uma coligação é um acordo de diálogo constante entre as partes. Não deve ser, um desacordo interno pelas propostas do JPP para o Funchal, onde, não raras vezes, se obtém conhecimento direto dos assuntos essenciais ao Funchal pela imprensa”.

O secretário-geral do JPP afirma que “mais recentemente, têm crescido as pressões centralistas de Lisboa e de grupos económicos monopolizadores recém-chegados à nova conclave, uma situação que põe em crise o papel independente e fiscalizador do JPP, perante o compromisso assumido com os cidadãos. Do mesmo modo que não aceitamos tentativas de coação, perpetuados por altos dirigentes com responsabilidade autárquica, visando minar e desestabilizar o JPP”.

O JPP verifica que, “apesar dos seus esforços, o panorama de coligação desvirtuou-se em prol de uma calculada partidarização e personificação. Endereçamos uma palavra de apreço a todos os funchalenses, que poderão contar com a nossa energia singular, com a nossa independência e aptidão pela causa pública”.