Tecnologias de acessibilidade nas bibliotecas escolares da Madeira para melhorar a inclusão

Foto Rui Marote (arquivo)

A Direcção Regional da Educação da Madeira e a Altice Portugal, através da Fundação PT, entregam amanhã às bibliotecas escolares da Região um conjunto de soluções tecnológicas de acessibilidade às comunicações e à leitura e escrita inclusiva, no âmbito de um protocolo estabelecido entre ambas as entidades.

O objectivo é permitir a inclusão escolar de estudantes com necessidades educativas especiais, relacionadas com limitações na audição, visão, oralidade, ou mesmo neuromotoras ou cognitivas. Do lado da DRE, esta entrega é complementada com kits de livros e actividades em formatos acessíveis: Braille, Áudio, Digital, Língua Gestual Portuguesa, Leitura Fácil, Símbolos pictográficos e Negro Ampliado.

O evento que simbolizará o reforço de uma educação que se pretende cada vez mais inclusiva, decorrerá amanhã, dia 28, pelas 11h30, na Escola Básica do 1º ciclo com Pré-Escolar e Creche de São Vicente, e contará com a presença do secretário regional de Educação, Jorge Carvalho, do director regional de Educação, Marco Gomes, e da directora da Fundação PT, Graça Rebôcho, entre outras entidades.

O presente protocolo, realizado no âmbito do projecto “Todos Podem Ler”, visa promover a leitura e a escrita inclusiva nas bibliotecas escolares, criando e divulgando livros e actividades em formatos acessíveis a todos.

A DRE tem vindo a dinamizar diversas actividades nos estabelecimentos de ensino, com o objectivo de estimular a leitura junto dos alunos, promovendo, também, a leitura inclusiva, através da utilização de tecnologias de apoio e conteúdos adaptados às suas necessidades. O Projecto “Todos Podem Ler” foi criado em 2010 e, desde 2015, na fase de disseminação do projecto às bibliotecas escolares, tem o apoio da Fundação PT.

Pretendeu-se progressivamente estender o projeto “Todos Podem Ler” aos estabelecimentos de ensino – previsto em 5 etapas – através de divulgação dos kits, de acções de sensibilização e de formação, promovendo a criação de recursos em formatos acessíveis e a divulgação de tecnologias de apoio/ajudas técnicas existentes com o apoio da Fundação PT. Neste momento estão contemplados 16 estabelecimentos de ensino, dos 20 que manifestaram interesse em integrar o projecto, nomeadamente:

1.ª etapa (2015): EB1/PE da Ribeira Brava, EB1/PE do Lombo do Guiné, EB1/PE Visconde Cacongo e EB1/PE Ribeiro Domingos Dias.

2.ª etapa (2016): EB1/PE do Garachico, EB1/PE de Santa Cruz, EB1/PE da Ajuda e EB1/PE da Calheta.

3.ª etapa (2017): EB1/PE do Covão, EB1/PE do Galeão, EB1/PE do Livramento e EB1/PE do Boliqueime.

4.ª etapa (2018): EB1/PE do Lombo Segundo, EB1/PE/C de São Vicente, EB1/PE da Lourencinha e EB123/PE Bartolomeu Perestrelo.

5.ª etapa (entrega prevista para 2019): EB1/PE do Estreito da Calheta, EB1/PE/C do Porto Moniz, EB1/PE de São Gonçalo e EB1/PE da Lombada – Funchal.

Neste âmbito, será ainda entregue um kit de livros e conteúdos em formatos acessíveis, criado pela Divisão de Acessibilidade e Ajudas Técnicas (DAAT) / Direcção de Serviços de Apoios Técnicos e Especializados da DRE, aos quatro estabelecimentos de ensino da Região seleccionados na 4.ª etapa de disseminação do projecto.

Neste momento as bibliotecas de 20 estabelecimentos de ensino já dispõem dos equipamentos informáticos facilitadores da leitura e dos kits de livros em formatos acessíveis, sendo que estão inscritos no projecto mais quatro escolas.

No evento divulga-se ainda a 4.ª edição do Prémio de Literatura Infantojuvenil Inclusiva “Todos Podem Ler” – cujas inscrições estão abertas até ao dia 5 de Novembro do corrente ano. Este prémio visa contribuir para a produção e promoção da Literatura Inclusiva, destinada à infância e à juventude, através da utilização de formatos alternativos, designadamente Braille e/ou relevo, negro ampliado, Símbolos Pictográficos para a Comunicação, Língua Gestual Portuguesa, Áudio ou Leitura fácil/Leitura simplificada. O Regulamento deste concurso está disponível em: https://tinyurl.com/y9b9c5fe.

Por outro lado, desde 2012, funciona na DAAT um núcleo da Fundação PT, na área da “acessibilidade e comunicação”, que permite apoiar projectos e iniciativas na área da Educação, nomeadamente através de programas destinados à inclusão escolar de alunos com diferentes tipos de necessidades.

Para o efeito, tem sido disponibilizado pela Fundação PT software adaptado e equipamentos considerados ajudas técnicas/produtos de apoio para os alunos com esse tipo de competências.

O projecto de Ensino à Distância: “Teleaula – Aprender Sem Barreiras” é também dinamizado, desde 2004, junto dos estabelecimentos de ensino de alunos impossibilitados de frequentar a escola por motivo de saúde ou outro impedimento. O programa utiliza a plataforma “Teleaula” desenvolvida em Portugal pela Altice Labs juntamente com a Fundação PT. Esta plataforma permite aos alunos a visualização remota das aulas, em directo ou em diferido, e é complementada com câmaras de vídeo de alta resolução, sistema de som, computadores e acesso à internet, disponibilizados pela Fundação PT.

No âmbito dos protocolos com a Fundação PT, a equipa da Divisão de Acessibilidade e Ajudas Técnicas colabora na avaliação e desenvolvimento dos equipamentos e serviços disponibilizados por esta instituição.