Entrevista a Rui Barreto (parte 3): “Nós não vamos fazer coligações pré-eleitorais [nas Regionais de 2019]”

Fotos Rui Marote.

Quer reconquistar um deputado do CDS-Madeira na Assembleia da República, assume que o CDS vai sozinho às Regionais de 2019 e pondera deixar o cargo de vereador na Câmara do Funchal.

FUNCHAL NOTÍCIAS: Em 2019 haverá eleições Legislativas Nacionais. Qual é o objectivo, reconquistar o deputado pelo Círculo da Madeira?

R.B.: Eu assumi claramente no Congresso e é um dos pontos da minha moção. Em 2019, queremos recuperar o deputado na Assembleia da República, que tanta falta faz à Madeira. Basta relembrar o trabalho que quer o José Manuel Rodrigues quer eu fizemos em Lisboa, colocando sempre a Madeira em primeiro lugar, para perceber isso. A Região precisa de uma voz verdadeiramente autónoma, que assuma o compromisso de lutar pelos nossos interesses coletivos. Uma voz combativa e livre. Um deputado do CDS Madeira será sempre essa voz.

F.N.: É preferível fazer coligações pré ou pós-eleitorais para as Regionais de 2019? Com quem?

R.B.: Também deixei claro na minha moção. Nós não vamos fazer coligações pré-eleitorais. Ponto final, parágrafo! Nem estamos a pensar em cenários pós-eleitorais. Vamos sozinhos a eleições, com as nossas ideias, com o nosso programa, com a nossa gente e com cidadãos da sociedade civil que a nós se quiserem juntar. É esse o nosso compromisso.

F.N.: Vai deixar a vereação na Câmara do Funchal?

R.B.: Essa é uma questão ainda em análise. A dado momento, terei de fazê-lo, mas sei que quer a Ana Cristina Monteiro, quer o Luís Miguel Rosa, dão todas as garantias de que o CDS ficará muito bem representado na vereação.