PSD considera que a CMF não protege os taxistas com regulamento hoje aprovado

Os vereadores do PSD na Câmara Municipal do Funchal consideraram hoje, na sequência da reunião de Câmara realizada, que o novo regulamento de emissão de licenças para os profissionais de táxis não salvaguardam os interesses destes profissionais.

Foi com “apreensão” que os vereadores social-democratas viram o novo regulamento de táxis ser aprovado hoje, em reunião de Câmara, pela coligação Confiança. “Não podemos ter um regulamento que não proteja os industriais de táxi. Não podemos ter um regulamento que possa criar concorrência nestes profissionais. Não podemos ter um regulamento que ponha em risco o contingente que existe”, disse Rubina Leal, lamentando que a AITRAM não tenha sido ouvida pela autarquia.

O regulamento dos táxis, apresentado pela Câmara, contraria o parecer da AITRAM, que considera que a frota é suficiente para as necessidades do Funchal. “Este regulamento que foi feito, permite que possa existir um maior contingente e mais licenças. No actual contexto consideramos que aquele que existe é suficiente”, sublinhou a autarca social-democrata, que remeteu para a Assembleia Municipal uma posição final do Partido sobre esta matéria.

“Reservamos para a Assembleia Municipal a nossa posição final, uma vez que consideramos que este regulamento contraria o parecer da AITRAM”, explicou, justificando ainda a abstenção dos quatro vereadores do PSD, com as dúvidas que o documento suscita e a falta de esclarecimentos por parte do executivo municipal.