“Realmente São Gonçalo estava ao abandono até 2013”, reage o presidente da Junta sobre o documento do PSD de falta de limpeza na freguesia

São João em São Gonçalo
“As Marchas de São João são únicas, com os balões a serem efetuados pela população”, refere o presidente da Junta,

O presidente da Junta de Freguesia de São Gonçalo veio hoje a público apontar o levantamento que o PSD fez e entregou, em reunião da Assembleia, relativamente à falta de limpeza da freguesia, como sendo de “ignorância” por parte do Grupo social democrata, rebatendo o contéudo do “dossier” entregue pelo vogal do grupo Luciano Gomes

A nota enviada à comunicação social, sublinha que “o presidente da Junta, ao verificar as fotos das zonas a necessitar de intervenção, explicou que, realmente compete à Junta solicitar aos serviços municipais para que procedam à identificação dos proprietários dos terrenos, explicou também, que os vogais do PSD teriam a obrigação de saber que os terrenos privados são da responsabilidade dos proprietários, que os terrenos do IHM são da responsabilidade deste, que a Estrada do Aeroporto é da responsabilidade da Direção Regional de Estradas, bem como os terrenos, na Estrada Conde Carvalhal, em frente ao Supermercado Paraíso são do Governo Regional. O Presidente da Junta referiu, inclusive, que esta compilação de fotos só pode ter sido realizada pela ignorância deste vogal e que teria todo o gosto a esclarecê-lo”.

Já no referente ao que a freguesia faz, o Presidente da Junta começou por dizer que “realmente São Gonçalo estava deixado ao abandono até 2013 e que só por má-fé é que alguém pode se referir a algo único no Mundo como uma atividade menor e sem qualquer sentido. Acrescentou ainda que as Marchas de São João são únicas, com os balões a serem efetuados pela população e que o seu trajeto é percorrido com imensa alegria. Concluiu questionando se a Junta de Freguesia não defender o património cultural da Freguesia, quem o fará”.

A nota de Bruno Ferreira lembra a reunião de ontem da Assembleia de Freguesia, com quatro pontos, referindo que a ata foi aprovada por unanimidade. Nesta reunião, foi eleito um novo vogal, com 10 votos favoráveis, 2 brancos e 1 contra.