PTP denuncia situação de pobreza extrema na Madeira



Raquel Coelho deu uma conferência de imprensa, hoje, em Machico, numa barraca feita de tábuas e zinco, com cerca de dois metros quadrados, sem luz eléctrica nem água potável e onde vive uma família de três pessoas, todos eles desempregados.
Uma situação que considerou como sendo de “pobreza extrema, inaceitável para o avanço civilizacional do país” e que a deputada do PTP apresenta como “vergonha para Madeira e uma inversão de prioridades do Governo Regional e da autarquia de Machico”.

A parlamentar lembrou que recentemente a Câmara de Municipal de Machico empregou largos milhares de euros no Mercado Quinhentista enquanto subsistem no concelho inúmeras bolsas de pobreza: “Existe pessoas a passar fome e a viver dentro de barracas em Machico mas dinheiro para festas não falta”, disse.
“Sob a alçada do PS, daqueles que se assumem como alternativa ao poder, existem pessoas a viver em situações precárias, mas que socialismo é este que querem instaurar na RAM ?”, perguntou a deputada trabalhista em tom crítico.
Raquel Coelho garante que já foram feitos vários alertas junto das entidades públicas no entanto nada foi resolvido, a que o PTP exige medidas para resolver o problema, da secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Rita Andrade e do presidente da Câmara de Machico, Ricardo Franco.

O PTP explicou que casos destes repetem-se um pouco por toda a ilha e garante que se caso a exploração portuária fosse realizada pelo sector público, poderia-se resolver todos os problemas de habitação da população do arquipélago, deixando críticas à política de Miguel Albuquerque.