Barreto “recomenda” que Cafôfo resolva em Lisboa os ventos e os apartamentos para os regressados da Venezuela

rui barreto
Rui Barreto diz que chegou o momento dos “murros na mesa” darem resultados.

O vereador do CDS/PP Madeira na Câmara do Funchal, Rui Barreto, deu conta, esta manhã, da deslocação a Lisboa do presidente da autarquia, tal como o Funchal Notícias tinha noticiado ontem em consequência de uma informação veiculada pelo gabinete de comunicação de Cafôfo. E aproveita a deslocação para algumas “recomendações” a Cafôfo.

Rui Barreto sugere a Paulo Cafôfo que “contribua para a solução de dois assuntos importantes para a Região: a alteração dos limites dos ventos no Aeroporto Internacional da Madeira de “mandatórios” obrigatórios para “recomendados” – sugestão que Rui Barreto já havia apresentado pessoalmente ao autarca durante uma reunião da vereação e na véspera de uma outra reunião na capital – e o cumprimento da promessa  do governo central de construção de 62 fogos, com o financiamento do programa IHRU, 34 em Machico Park e 28 na Água de Pena, destinados aos emigrantes que regressam da Venezuela”.

Utilizando alguma ironia, Rui Barreto refere o “hábito destas reuniões”, lembrando o ‘murro na mesa’ e agora “supostamente para resolver assuntos da Região”. Por isso, o vereador centrista é claro: “Quero ajudar o senhor presidente da Câmara numa boa resolução dos problemas referidos. Estas reuniões ad hoc para garantir títulos de jornais têm que começar a produzir resultados. Parece que ir a Lisboa dar murros e ter reuniões com membros do governo da República dá votos na Região, mas a política é feita no superior interesse das populações e tem de apresentar resultados concretos, por isso sugiro ao senhor presidente da Câmara que tente solucionar os problemas que apontei.”