Turista desaparecido não foi encontrado, apesar das buscas insistentes na zona da Praia Formosa

Fotos: Rui Marote

Foram, lamentavelmente, infrutíferas as buscas efectuadas hoje para encontrar um homem de 62 anos, de nacionalidade britânica, que foi arrastado pelas ondas quando passeava, acompanhado por amigos, ontem junto ao mar, na Praia Formosa, no Funchal. A informação foi dada há pouco pela Capitania do Porto do Funchal, que encerrou as buscas quando já não havia luminosidade suficiente para continuar.

O Funchal Notícias esteve no local e pôde testemunhar o afã dos diversos responsáveis envolvidos, desde os elementos da Polícia Marítima e nadadores salvadores ao longo da linha costeira ao navio-patrulha que, a certa distância, vigiava as águas revoltas. Também o helicóptero “Merlin” da Força Aérea Portuguesa esteve empenhado nesta operação, realizando numerosas passagens no local, ao longo de uma extensa área.

Mas o mar é impiedoso e as vagas eram demasiado alterosas para que embarcações de menor porte se pudessem aproximar de terra, e além disso as correntes que se faziam sentir tornavam pouco provável encontrar o turista que foi arrastado pelas ondas naquele local – o que, não sendo provável, não quer dizer que seja impossível. O que parece, decididamente, impossível a qualquer pessoa com bom senso é que seja resgatado com vida. As ondas arremetiam de forma inexorável contra a praia, tornando muito difícil crer que alguém que tenha sido arrastado por uma tal força da natureza consiga sobreviver sem se afogar, além de rapidamente sucumbir à hipotermia. Portanto, é na realidade um corpo o que se procura, mas, dadas as condições meteorológicas, com o mar provavelmente só a acalmar verdadeiramente lá para domingo, é virtualmente como “procurar uma agulha num palheiro”.

Disso mesmo nos deram conta elementos da Polícia Marítima que se encontravam no local, comentando que era realmente muito difícil encontrar o homem desaparecido.

Entretanto, a Capitania do Porto do Funchal avançou com um comunicado onde, como referimos, se anuncia a suspensão das buscas, que serão retomadas à alvorada. Desde a noite do dia 28 que o Capitão do Porto e comandante local da Polícia Marítima do Funchal coordenou esta operação. O turista terá sido arrastado pelo mar por volta das 22h00 de ontem, junto à promenade da Praia Formosa. O alerta foi dado pela Protecção Civil aproximadamente às 22h23. As buscas foram iniciadas imediatamente por terra por agentes da Polícia Marítima. A visibilidade era então muito má, o vento soprava e as ondas tinham entre 7 a 9 metros.

Ao nascer do dia, voltou-se a procurar o homem arrastado pelas ondas por ar, terra e mar. A embarcação salva-vidas ISN-SR40 da Capitania, o patrulha oceânico “Figueira da Foz”, o helicóptero Merlin e uma embarcação salva-vidas do Sanas estiveram envolvidos na operação. Agentes da Polícia Marítima, na costa, reforçados com os já supracitados nadadores-salvadores da FrenteMarFunchal participaram também, além de bombeiros (Voluntários Madeirenses e Voluntários de Câmara de Lobos). Mas, até agora, foi tudo em vão.