Estepilha! Tragédia no Monte? A culpa é do foguete…

Ilustração de José Alves.

Caro Senhor Presidente da Câmara Municipal do Funchal,

o Estepilha ainda hesitou se deveria maçar Sua Exa com coisas de somenos importância, como os foguetes da festa do Monte, quando bem sabe que está assoberbado com o trabalhão municipal dos carnavais e demais folguedos. Mas, primeiro as Pessoas, e vai daí esta nota.

Fique V.ª Ex.ª sabendo que o Estepilha, sem precisar de relatórios como aquele que divulgou sobre a tragédia do Monte, há muito que vem vendo que o foguetório nos arraiais do Monte ia acabar mal. Aquilo era barraca de poncha ao lado da Igreja só para alguns; era plátano e carvalhos eternamente verdinhos numa prolongada e primaveril lua de mel; era amor sacro e santo a implodir a partir da paróquia … ora, nem era preciso ter dois dedos de inteligência para somar dois mais dois e concluir que, quanto mais alto o foguete…

Saiba V.ª Ex.ª, pois, que a culpa não é nem sua nem da sua equipa. Se há culpa, a ver vamos, só pode ser imputada ao foguete da paróquia. Ai, ai, como ele  faz trepidar  os corações, a 400 metros de altitude… Tudo o mais é palavreado de aldeia para atacar as Pessoas que V.ª Ex.ª  tão bem representa.