Vereador do CDS/PP diz que Governo prometeu há dois anos a obra na escarpa da Calheta

Martinho B
Martinho Câmara, vereador do CDS/PP na Câmara da Calheta, diz que a obra de consolidação da escarpa da marginal da Calheta já deveria ter ocorrido há muito tempo.

Martinho Câmara, o vereador do CDS/PP na Câmara da Calheta, não poupa críticas à atuação do Governo Regional relativamente à obra de consolidação da escarpa da marginal. “Só por milagre não aconteceu uma desgraça em todos estes anos”, recordando que “o Governo Regional prometeu há dois anos, numa sessão solene, um investimento de 80 milhões de euros no concelho, entre os quais estava uma parte para esta obra na escarpa. Desde então, não houve tempo de fazer uma obra que tem a ver com a segurança das pessoas e que, por isso, deveria merecer uma maior urgência?”, deixa a interrogação.

Martinho Câmara diz que fala em nome da autarquia, mais do que falar em nome do CDS/PP, para lembrar que “passaram aquela estrada para a jurisdição da Câmara, mas é sabido, por todas as entidades, que aquela estrada, várias vezes intervencionada, precisa de uma atuação mais profunda, a autarquia não tem capacidade de intervenção de trabalhos desta natureza”.

O vereador compreende a morosidade de questões processuais e quando confrontado com o anúncio do Governo de que a obra avança em março, considera que “há uma distância muito grande entre a promessa do Governo, há dois anos, e o início das obras agora. Estamos a falar de dois anos. Julgávamos que a obra teria outra prioridade. As imagens que a comunicação social publica hoje são bem reveladoras da gravidade da situação”.

Martinho Câmara entende que “as obras que têm a ver com a segurança das pessoas, devem ter uma atenção muito particular no sentido de serem colocadas no terreno com a celeridade que a situação exige. A consolidação da escarpa insere-se nesse contexto, pelo que já deveria ter começado há muito tempo”.