Moita Flores na ESJM: “Morrer é dizer adeus aos passos que ficam gravados na nossa memória”

Fotos DR.

Francisco Moita Flores foi o orador convidado pelo Grupo de Português para a abertura da Semana das Línguas, na Escola Secundária Jaime Moniz. Um Encontro Literário, marcado por uma conversa dirigida à comunidade escolar, com a moderação da docente Fátima Marques.

O escritor iniciou a sua conversa, agradecendo, com especial emoção, o convite que lhe foi formulado para assistir à cerimónia que ocorreu, de manhã, visando celebrar o Dia da Escola. A esse propósito, deixou palavras muito comovidas referindo que “é assim que se constroem países” sendo que o que vivenciou na Escola Jaime Moniz foram momentos de construção do que designou como “cidadania de pé”, a que não se curva diante de ninguém.
Seguiu-se um diálogo entre a docente apaixonada pela sua escrita e o escritor disponível e grato. O  público docente e discente desfrutou de um momento significativo em que se falou acerca da História e desta como mote literário, da vida e da esperança, da identidade e da memória.

 

Definindo-se como “um operário das palavras”, acentuou que “escreve contra o que se designa como a História” (no sentido de História “oficial”). Recolhe, assim, o testemunho dos que a História evita ou cala a voz.
De tudo quanto disse, das respostas que foi concedendo à sua interlocutora que evidenciou um conhecimento profundo da sua obra, realce-se o do seu Amor à língua portuguesa e à data de 1 de Dezembro de 1640 como a mais relevante da História da Nação pois é essa que é geradora de todas as outras, nas suas palavras “o osso da nossa identidade, a capacidade fundadora, o verdadeiro Dia de Portugal”. Para Moita Flores, a Língua portuguesa é o maior e o mais precioso ativo que Portugal legou ao mundo e isso só foi possível porque 1640 aconteceu.
“A solidão faz parte da vida do escritor”, mas são momentos destes, de partilha de histórias, processos e reflexões que nos enriquecem e estabelecem, entre autor e leitores, os fios dos enredos com que os afetos literários se constroem.
Um dia de celebração, na Escola Jaime Moniz, enriquecido com uma conversa que foi seguida com atenção pela plateia.

A Semana das Línguas na ESJM prossegue com diversos eventos até esta sexta feira.