Carlos Pereira recandidato a líder do PS-M sem “arranjinhos” e para afirmar o partido perante Lisboa

Casa cheia na apresentação pública do candidato. Fotos DR

“Verdade de credibilidade” são as palavras que dão mote à recandidatura de Carlos Pereira à liderança do PS-Madeira.

Numa sala repleta de apoiantes, na sede do partido, o candidato apresentou-se ontem com vontade de não deixar o partido ser comandado por Lisboa.

Na intervenção da praxe, depois das palavras deixadas pelo mandatário da candidatura, Ricardo Franco, o atual líder do PS-M deixou recados à candidatura de Emanuel Câmara.

“Na candidatura nossa adversária temos um candidato a presidente do PS que não é candidato a presidente do governo e um candidato a presidente do governo que não é candidato a presidente do PS. Um esconde-se atrás do outro”, disse.

Já antes tinha deixado farpas: “Há muito trabalho político para fazer até 2019 e esta necessidade não se compadece com arranjinhos que humilham o partido e descredibilizam a consistência obtida até hoje”, disse.

Segundo Carlos Pereira, para que os cidadãos tenham confiança e acreditem nos projectos políticos, é preciso gente de confiança, gente que cumpre o que promete e gente que dá a cara pelos desafios.

“Fugir às responsabilidades, negar os compromissos e esconder as ‘cartas do jogo’ é fazer batota e afundar a credibilidade”.