Idalina Perestrelo eleita Vice-Presidente do Conselho Geral da rede de Municípios atenta às alterações climáticas

A vereadora da Câmara Municipal do Funchal, Idalina Perestrelo, que tem o pelouro do Ambiente na autarquia, marcou ontem presença no 2.º Conselho Geral da Rede de Municípios para a Adaptação Local às Alterações Climáticas, que decorre até amanhã, em Vilamoura.

A autarca do Funchal foi nomeada Vice-Presidente do Conselho Geral, para o quadriénio 2018-2021, o que considera “um reconhecimento pelo trabalho que o Funchal tem sido capaz de fazer, desde que apresentou a sua Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, um projeto que continua a ser único na Região.”

Idalina Perestrelo acrescenta que “esta foi uma oportunidade para renovar o compromisso estratégico do Município para os próximos anos, porque queremos continuar a liderar pelo exemplo, desenhando novas abordagens e disseminando boas práticas num domínio tão crucial para o nosso futuro como são as alterações climáticas.”

Segundo uma nota de imprensa, o Conselho recém-eleito também decidiu realizar no Funchal a sua próxima reunião extraordinária, que decorrerá em março de 2018.

Refira-se que o Funchal foi a primeira cidade da Região a ter uma Estratégia Municipal para fazer face às alterações climáticas, apresentada publicamente em dezembro de 2016. Este foi o resultado da adesão, no ano anterior, ao projeto “ClimAdaPT.Local”, que veio a reunir 30 municípios portugueses, numa iniciativa pioneira da Agência Portuguesa do Ambiente, tutelada pelo Ministério do Ambiente.

Seguiu-se a fundação de uma Rede de Municípios para Adaptação Local às Alterações Climáticas, que assumiu como objetivo aumentar a capacidade dos municípios em incorporar a adaptação nas suas políticas, através da troca de experiências entre instituições, técnicos e especialistas e da capacitação das autarquias locais.

Paralelamente ao 2º Conselho Geral da Rede, decorre o 1º Seminário de Adaptação Local às Alterações Climáticas, que pretende sensibilizar o maior número possível de municípios, técnicos e outros atores para os desafios das Alterações Climáticas, promover a capacitação contínua de eleitos e técnicos municipais sobre a Adaptação às Alterações Climáticas ao nível local, dinamizar a partilha de boas práticas e a troca de conhecimento entre os diversos setores e níveis da Administração, e dar notoriedade à Rede como agente dinamizador da qualificação da intervenção das autarquias portuguesas na Adaptação às Alterações Climáticas.

Idalina Perestrelo mostrou “total disponibilidade do Funchal para colaborar com outras autarquias da Região, na disseminação de uma estratégia comum de adaptação às alterações climáticas.”