Sete escalões de IRS, descongelamento faseado de carreiras, subsídio de Natal pago de uma só vez, são alguns dos pontos do Orçamento

irs-1-1
O IRS, em 2018, terá sete escalões ao contrário dos atuais cinco. O Orçamento de Estado ainda não foi entregue, País está à espera de Centeno a todo o monento para a entrega e conferência de imprensa.

Os escalões de IRS passam de cinco para sete. Os últimos dois escalões mantêm-se em 45% e 48%. Comprar carro fica mais caro porque o governo vai agravar o IUC, em média 1,4%, bem como o ISV, imposto sobre veículos. Aumenta a taxa sobre as batatas fritas e produtos com elevado teor de sal, mais imposto sobre refrigerantes e bebidas espirituosas e vinho licoroso. O vinho fica de fora. Acabam os cortes nas horas extras dos funcionários públicos a partir de 1 sde janeiro. O subsídio de refeição dos funcionários públicos deixa de ser tributado em 2018.

Estas são algumas das medidas que os jornais nacionais estão a ser adiantadas, apesar do documento, neste momento, cerca das 22.45 horas, ainda não ter sido entregue na Assembleia da República. Todos aguardam pelo ministro das Finanças, que depois de entregar fará uma conferência de imprensa. O “Dinheiro Vivo” diz que todas as pensões vão aumentar em 2018, sendo que o aumento extraordinário chega em agosto.

O Orçamento de Estado, segundo o que é possível saber, torna tributável a aquisição de meios de mobilidade partilhada, além de isentar de pagamento de IMI os proprietários de habitações com mais de 30 anos, localizadas em áreas de reabilitação urbana. As taxas do crédito ao consumo serão agravadas. O descongelamento das carreiras, na Função Pública, será feito faseado, até 2019.

O subsídio de Natal aos funcionários públicos e pensionistas será pago na íntegra, pela primeira vez em 2012. Este ano de 2017 foi pago metade em duodécimos e metade será pago em novembro