“Nova Mudança” encerrou campanha no Funchal com apelo aos eleitores: “não dêem maiorias” a ninguém

A Nova Mudança encerrou hoje a sua campanha no concelho do Funchal com um contacto directo com as populações do centro, particularmente da zona de Santa Maria Maior, e para enfatizar um apelo ao voto nesta coligação política. Para o candidato Roberto Vieira, não é do mínimo interesse dos eleitores sufragar uma maioria política, seja ela de quem for. Antes pelo contrário, é na diversidade e no consenso que, no entender do candidato, surge a melhor gestão política. Daí a importância de votar também nas candidaturas mais modestas, como a Nova Mudança, que inclui o MPT, partido que, apesar de uma dimensão política mais modesta, também tem importantes sugestões e contribuições a fazer.

Roberto Vieira apelou ao voto na coligação Nova Mudança: “Estamos esperançados que a mesma venha a ter um bom resultado”, referiu. “Temos tido uma receptividade muito grande da parte da população, mas queremos ver esse resultado reflectido também nas urnas, no dia 1 de Outubro”.

“Estamos convencidos de que vai ser uma surpresa”, reforçou Roberto Vieira, que se esforçou por conquistar o apoio dos eleitores, esclarecer alguns aspectos da candidatura e insistir que os cidadãos não dêem uma maioria absoluta a quem quer que seja.

“A maioria absoluta não interessa, de maneira nenhuma, à cidade e aos funchalenses”, frisou. “Se formos eleitos, iremos expor os problemas, e na medida do possível, resolvê-los”, nos diferentes órgãos autárquicos para os quais a equipa da Nova Mudança venha a ser eleita.