“Funchal Forte” quer derreter placa de “inauguração” do Lido e “repor verdade histórica”

A coligação “Funchal Forte” termina hoje a campanha com uma visita às zonas altas da cidade, nomeadamente São Roque e Monte, onde irá explicar aos funchalenses o seu programa para a cidade e também alertar as pessoas para o perigo do populismo, do culto da imagem, e dos apetites da “tubaranagem regional”.

Durante a campanha, a coligação tem explicado aos cidadãos que tem a melhor equipa para governar a cidade, pessoas competentes, com experiência na gestão autárquica e honestas.

“Temos ideias avançadas para o urbanismo, para a mobilidade, para o ambiente, para a reabilitação do património, para a modernização administrativa, para a protecção dos animais, para o turismo, para a cultura e para o social. Connosco, o Mercado dos Lavradores não se transformará num bazar Turco! Connosco não existirão lanchonetes e galerias comerciais de grupos monopolistas fazendo concorrência desleal aos nossos comerciantes!”, prometem.

Depois do périplo pelas Zonas Altas, a coligação passou pela placa da “inauguração” do Lido.

“É intenção desta coligação, caso ganhe a Câmara, repor a verdade histórica. A placa será derretida, e será reposta no lugar, outra placa com os seguintes dizeres: ‘Complexo Balnear do Lido/Construção iniciada pela Câmara Municipal do Funchal em 1931 e concluída em 1933, por Braheem Kassab. Sofreu várias remodelações, sendo as mais importantes, nos mandatos dos Exmos. Srs. Presidentes de Câmara, Miguel Albuquerque e Paulo Nascimento Cafôfo. Obras concluídas e inauguradas em Março de 2016, pelo Exmo. Sr. Primeiro-Ministro António Costa.'”