Sofia Canha (PS) pede intervenção urgente nas Estradas e veredas do Arco da Calheta

Fotos DR

A candidata do PS à Junta de Freguesia do Arco da Calheta, Fátima Gouveia, abordou, esta tarde, no sítio dos Palheiros, alguns dos problemas mais prementes da freguesia, detetados na campanha que tem vindo a realizar junto da população, nomeadamente as más condições das estradas e veredas, referindo que algumas zonas ocorrem derrocadas que colocam em risco a população.

Fátima Gouveia afirmou que as zonas altas da freguesia estão abandonadas, no que diz respeito à falta de transportes públicos e de limpeza das veredas comunicantes entre os vários sítios do Arco da Calheta. A candidata disse que as veredas da freguesia para além de “servirem de vias de comunicação, servem a população de acesso aos terrenos de cultivo, referindo, por essa razão, que é preciso maior intervenção e limpeza dos mesmos para a prevenção de incêndios, pois, estão cheios de silvado e de feiteira, colocando em risco as residências, que se encontram na localidade”.

Neste âmbito, a candidata do PS à Câmara Municipal da Calheta, Sofia Canha, denunciou às más condições das estradas da freguesia do Arco da Calheta. Sofia Canha deu alguns exemplos, começando por referir que “o piso da estrada Regional entre o cruzamento junto ao bar Monteiro e o Lombo do Guiné está péssimo, cheio de buracos, necessitando de um novo tapete de asfalto. Por outro lado, disse também que na estrada que liga a Corujeira à Chada de Santo Antão existe um grande fenda no piso, dando sinal que existe cedência do muro e/ou terreno. Apesar da Câmara Municipal da Calheta já ter sido avisada, nada fizeram até agora, parece que andam mais preocupados em cortar árvores”, lançou a farpa.

Por seu turno, denunciou também que na estrada do Massapez, próximo ao miradouro do Arco da Calheta, junto a uma moradia existe uma encosta que já foi alvo de várias derrocadas e desprendimento de pedras, pondo em perigo os carros que ali passam, bem como as pessoas que ali residem e mais uma vez a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia do Arco da Calheta, nada fizeram, para assegurar a segurança desta população.